“A sobrevivência dos cibermeios” em debate nas #4JOBCIBER

16 11 2017

A crise nos media, o despedimento de jornalistas e, em última instância, o encerramento de alguns meios, tem estado na ordem do dia. No domínio digital, o ano 2017 começou com uma má notícia: chegava ao fim o percurso do primeiro nativo digital em Portugal (Setúbal na Rede), a poucos dias de completar 19 anos. Por esse motivo, o Observatório do Ciberjornalismo decidiu pegar no tema e colocá-lo em debate.

Assim, “A sobrevivência dos cibermeios” será o mote para as IV Jornadas ObCiber (#4JOBCIBER), a realizar no dia 6 de dezembro, no MIL – Media Innovation Labs da Universidade do Porto. A iniciativa contará com um painel de debate, a apresentação de um livro e a entrega dos Prémios de Ciberjornalismo 2017.

Mais novidades estão previstas para os próximos dias. Mantém-te ligado/a 😉

Anúncios




ObCiber abre candidaturas aos Prémios de Ciberjornalismo 2017

10 10 2017

A partir de hoje, estão abertas as candidaturas à 10ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, atribuídos anualmente pelo Observatório do Ciberjornalismo (ObCiber). Este ano, o anúncio dos vencedores será feito no decorrer das IV Jornadas ObCiber, que terão lugar, no próximo mês de dezembro, na Universidade do Porto.

Os candidatos podem preencher o formulário de candidatura aqui. Mas, antes disso, é aconselhável uma leitura atenta ao regulamento dos Prémios de Ciberjornalismo 2017.

O período de candidaturas, destinado apenas a trabalhos publicados online entre 1 de setembro de 2016 e 30 de setembro de 2017, termina no dia 23 26 de outubro.





III Jornadas ObCiber: Cartaz/Programa

28 11 2015

cartaz_3_jornadas_obciber_2015





III Jornadas ObCiber: Programa

26 11 2015

III JORNADAS OBCIBER, 4 de dezembro de 2015

Polo de Ciências da Comunicação da U.Porto

20 anos de ciberjornalismo em Portugal

 

PROGRAMA

09h45 Sessão de Abertura

10h00 Conferência de Abertura – “Duas décadas de ciberjornalismo: utopias, conquistas e deceções”, Helder Bastos (Univ. do Porto)

11h00 Pausa para café

11h15 Conferência – “O jornalismo em 2025: o que mudou na última década”, João Canavilhas (Univ. da Beira Interior)

12h00 Painel “O futuro do ciberjornalismo” – Moderador: Isabel Reis

     Luís Santos (Univ. do Minho)

     Miguel Conde Coutinho (Editor-adjunto do JN Online)

     Tiago Dias (Lusa, ex-editor do JPN)

13h00 Almoço livre

15h00 Painel “Experiências académicas” – Moderador: Pedro Jerónimo

      Anabela Gradim (Diretora do Urbi & Orbi)

      Rui Barros (Diretor do ComUM)

      Afonso Ré Lau (Antigo colaborador do JPN)

15h45 Pausa para café

16h00 Conferência –  “Do ObCiber à RIIC: Investigar em rede”, Fernando Zamith (Univ. do Porto)

17h00 Anúncio e Entrega dos Prémios de Ciberjornalismo 2015

17h30 Apresentação do livro Ciberjornalismo de proximidade, de Pedro Jerónimo

18h00 Apresentação do livro Origens e evolução do ciberjornalismo em Portugal: Os primeiros vinte anos (1995-2015), de Helder Bastos

 

Organização: Observatório do Ciberjornalismo

Apoios: Media Innovation Labs (MIL), da Universidade do Porto; CETAC.MEDIA

Entrada livre





20 anos de ciberjornalismo em Portugal em debate na U.Porto

16 11 2015

O Polo de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto acolhe no dia 4 de dezembro as III Jornadas ObCiber, que vão assinalar os 20 anos de ciberjornalismo em Portugal.

Helder Bastos, João Canavilhas e Fernando Zamith são os conferencistas confirmados para as Jornadas do Observatório do Ciberjornalismo (ObCiber), que contarão também com as presenças de Miguel Conde Coutinho, João Pedro Pereira, Tiago Dias, Anabela Gradim e Afonso Ré Lau em dois painéis de debate reunindo académicos e profissionais.

O programa do encontro, que será divulgado brevemente, incluirá ainda o anúncio e entrega dos Prémios de Ciberjornalismo 2015, bem como a apresentação de dois livros da autoria de investigadores do ObCiber, Ciberjornalismo de proximidade: Redações, jornalistas e notícias online, de Pedro Jerónimo, e Origens e evolução do ciberjornalismo em Portugal: Os primeiros 20 anos (1995-2015), de Helder Bastos.

Estas III Jornadas, com entrada livre, são organizadas pelo ObCiber, com os apoios dos Media Innovation Labs (MIL) da Universidade do Porto e do Centro de Estudos das Tecnologias e Ciências da Comunicação (CETAC.MEDIA).





Vencedores dos Prémios de Ciberjornalismo 2013

5 12 2013

Os vencedores da 6ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, atribuídos anualmente pelo ObCiber, foram hoje conhecidos, no Porto, nas II Jornadas ObCiber, que decorreram no pólo de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto.

Os vencedores desta edição foram os seguintes:

1. Excelência geral em ciberjornalismo

Rádio Renascença

2. Última hora

Implosão da Torre 4 do Aleixo passo-a-passo – Jornal de Notícias – Jornal de Notícias

3. Reportagem multimédia

Campanhã: Uma quase aldeia encravada entre gigantes de betão Rádio Renascença

4. Videojornalismo online

Saber ouvir é uma forma de voluntariado Público

5. Infografia digital

O financiamento das duas últimas campanhas autárquicas – Público

6. Ciberjornalismo académico

10 anos de Metro JPN





Livro “A contextualização no ciberjornalismo” lançado nas Jornadas ObCiber

29 11 2013

O livro A cContextualização_no_Ciberjornalismo_Fernando_Zamith_capaontextualização no ciberjornalismo, da autoria de Fernando Zamith, vai ser lançado no final das II Jornadas ObCiber, que decorrerão no dia 5 de Dezembro, no pólo de Ciências da Comunicação da Universidade do Porto.

Nesta obra, o autor, docente da Universidade do Porto e coordenador do Observatório do Ciberjornalismo, parte do conceito de “jornalismo contextualizado” proposto por John Pavlik para verificar se, 10 anos depois, o jornalismo presente nos novos media é (muito) mais contextualizado do que o feito nos media tradicionais, o qual, em muitos casos, continua a ser transposto para a Internet sem qualquer adaptação.

O estudo de dezenas de sites noticiosos, entrevistas a 20 especialistas internacionais e um inquérito a 60 ciberjornalistas permitiram concluir que o conceito de Pavlik tem apenas expressão prática parcial no ciberjornalismo atual. A Internet trouxe mais instantaneidade ao jornalismo, e alguma utilização das suas capacidades de armazenamento e de personalização, mas ficaram por cumprir na sua plenitude outras “promessas” do “jornalismo contextualizado”, como o envolvimento das audiências e a construção de narrativas hipermédia. Paralelamente, a demora em encontrar um modelo de negócio robusto e duradouro está a travar o avanço de práticas ciberjornalísticas mais contextualizadas.

O livro, editado pelas Edições Afrontamento/CETAC.MEDIA, será apresentado, às 17h30, pelos professores José Azevedo e Helder Bastos.