Público em destaque nos Prémios de Ciberjornalismo 2018

22 11 2018
Prémios de Ciberjornalismo 2018

Trabalhos ciberjornalísticos foram reconhecidos por um júri e pelo público

O cibermeio detido pela Sonaecom – SGPS, S.A. é o grande vencedor da 11.ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, ao conquistar a principal categoria, Excelência Geral. Para além disso venceu ainda em Infografia Digital, com o trabalho “Rohingya: uma crise sem fim”, naquelas que foram as escolhas do júri.

Também a Rádio Renascença foi distinguida por duas vezes, por ser a melhor em Última-Hora, com “ Incêndios de 15 de Outubro Minuto-a-minuto” (#01, #02, #03, #04, #05, #06, #07, #08, #09, #10, #11, #12, #13, #14, #15, #16 e #17), e Narrativa Vídeo Digital, com “Pedrógão. Um ano depois do meu mundo arder”.

Os Prémios de Ciberjornalismo 2018 ficam ainda marcados não só pela diversidade de meios distinguidos, como também de estreias a vencer. É o caso do projecto Divergente, que apresentou a melhor Reportagem Multimédia, com “Terra de Todos, Terra de Alguns”. O mesmo sucedeu com o Fumaça, que se evidenciou na categoria Narrativa Sonora Digital, ao apresentar o trabalho “Palestina, histórias de um país ocupado”.

Em modo estreia esteve ainda a categoria Ciberjornalismo de Proximidade, na qual foi distinguido o Reconquista – jornal regional do distrito de Castelo Branco – com “ Famílias de Castelo Branco convidam imigrantes”.

Por fim, o prémio Ciberjornalismo Académico foi para o ComUM – cibermeio da Universidade do Minho – com “Águas paradas movem o Tâmega?”, encerrando assim as escolhas feitas pelo júri.

Já no que concerne às escolhas do público, elas coincidiram, na sua maioria, com as do júri. As excepções foram a categoria Infografia Digital, ganha pelo Jornal de Notícias, com “Pedrógão: Um ano depois, os momentos que não vamos esquecer”, e Última-Hora, que foi para o Público, com “Após 17 dias na gruta, acabou o calvário”.

Anúncios




Júri dos Prémios de Ciberjornalismo 2018

17 10 2018

A 11ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, uma iniciativa do Observatório do Ciberjornalismo, da Universidade do Porto, tem como membros do júri os seguintes docentes universitários:

Helder Bastos (Universidade do Porto): presidente

Fernando Zamith (Universidade do Porto)

António Granado (Universidade Nova de Lisboa)

Luís António Santos (Universidade do Minho)

João Canavilhas (Universidade da Beira Interior)

Inês Amaral (Universidade de Coimbra)

Pedro Jerónimo (Instituto Superior Miguel Torga)

Luís Bonixe (Instituto Politécnico de Portalegre)

Paulo Nuno Vicente (Universidade Nova de Lisboa)

Maria José Baldessar (Universidade Federal de Santa Catarina, Brasil)

Jesús Pérez Dasilva (Universidade do País Basco, Espanha)

O ObCiber lembra entretanto que o prazo para apresentação de candidaturas aos Prémios termina depois de amanhã, dia 19 de outubro.





ObCiber abre Prémios de Ciberjornalismo 2018

1 10 2018

Resultado de imagem para premios de ciberjornalismoA partir de hoje, estão abertas as candidaturas à 11ª edição dos Prémios de Ciberjornalismo, atribuídos anualmente pelo Observatório do Ciberjornalismo (ObCiber), da Universidade do Porto.

Os candidatos podem preencher o formulário de candidatura aqui. Mas, antes disso, é aconselhável uma leitura atenta ao regulamento dos Prémios de Ciberjornalismo 2018, que contém algumas novidades.

três novas categorias a concurso: Narrativa Vídeo Digital, Narrativa Sonora Digital e Ciberjornalismo de Proximidade.

O período de candidaturas, destinado apenas a trabalhos publicados online entre 1 de setembro de 2017 e 30 de setembro de 2018, termina no próximo dia 19 de outubro.

Este ano, o anúncio dos vencedores será feito no decorrer das VI Congresso Internacional de Cibejornalismo, que terá lugar na Faculdade de Letras da Universidade do Porto, nos próximos dias 22 e 23 de novembro.